A região Norte Fluminense gerou 1.831 novas de emprego em agosto

O avanço da safra da cana de açúcar e o consequente processo industrial, tem impacto gradual na geração de novos empregos formais na região Norte Fluminense. No mês de agosto a região gerou 1.831 novas vagas de emprego, contra 2.149 vagas gerados em julho, ou seja, uma desaceleração de 14,8% comparativamente. No acumulado do ano a região gerou um saldo de 12.646 vagas de empregos formais, recuperando as 12.487 vagas eliminadas no mesmo período do ano passado. Se compararmos com o mesmo período de 2019 (antes da pandemia), estamos em um patamar bem acima com um crescimento de 47,06% no número de vagas criadas esse ano.

Macaé , Campos dos Goytacazes e São Francisco de Itabapoana são destaques na geração acumulada de postos de trabalho, conforme pode ser verificado na tabela acima e São João da Barra, sede do porto do Açu tem o pior e único resultado negativo com eliminação de empregos no ano.

Olhando setorialmente esse ano, o predomínio é do setor de serviços com 3.215 vagas de empregos no acumulado, seguido pela construção civil com 3.037 vagas criadas. A agropecuária criou 2.540 vagas, a indústria 2.361 vagas, o comércio criou 1.056 vagas enquanto 437 vagas estão em grupos não classificados.

O estado do Rio de Janeiro gerou 22.960 novas vagas de emprego em agosto e um saldo acumulado de 104.256 no período de janeiro a agosto desse ano. Já o Brasil gerou 372.265 vagas de emprego em agosto e um acumulado de 2.203.987 novas vagas de emprego no ano.

Alcimar das Chagas Ribeiro
Sobre Alcimar das Chagas Ribeiro 2015 Artigos
Economista, mestrado e doutorado em Engenharia de Produção e Pós-doutorado em Economia. Professor da Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro - UENF

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*