Receitas de royalties na Bacia de Campos tem forte retração nos últimos seis anos

A crise de 2014 no setor de petróleo deprimiu a participação relativa da parcela mensal de royalties nos municípios produtores de petróleo da Bacia de Campos, conforme tabela a seguir.

Podemos observar que em 2014 a arrecadação de royalties de petróleo nos municípios identificados somou R$1.961 milhões, em termos correntes, cuja participação relativa na arrecadação do total do Rio de janeiro atingiu 57,51%. Já em relação ao total distribuído para o país, o mesmo valor atingiu 30,92% de participação relativa no mesmo ano.

Seis anos depois podemos verificar que a Bacia de Campos experimentou um forte encolhimento na participação nos royalties distribuídos para o Rio de Janeiro. A participação relativa caiu de 57,51% para 32,28% no periodo, enquanto em relação ao total distribuído para o país a retração foi de 30,92% para 20,85%.

Os seguintes fatores, a seguir, podem explicar a retração indicada.

  • Amadurecimento da Bacia de Campos e a consequente redução da produção de petróleo;
  • Queda acentuada no preço do barril de petróleo no mercado internacional;
  • Crise política no país com fortes reflexos na Petrobrás;
  • Redução do investimento da Petrobrás;
  • Lento crescimento econômico no mundo;
  • Aumento da oferta de óleo mundialmente;
  • Crise sanitária do coronavírus.
Alcimar das Chagas Ribeiro
Sobre Alcimar das Chagas Ribeiro 1914 Artigos
Economista, mestrado e doutorado em Engenharia de Produção e Pós-doutorado em Economia. Professor da Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro - UENF

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*